-->




-->



-->
Energisa faz operação contra furto de energia em Rondônia; ''gatos'' em empresas foram localizados


As ações para combater furto e desvio de energia elétrica estão sendo contínuas em Rondônia. Nesta quinta-feira (16), a Energisa iniciou operação em Porto Velho e no interior com reforço de 88 equipes, além do apoio da Polícia Civil para fiscalizar residências, empresas e comércios. Os famosos “gatos” são responsáveis por um desvio de energia que chega a 28%, o que causa um aumento de 14% na tarifa de toda a população.

Na Capital, a fiscalização começou na área central com pelos menos 10 eletricistas, e em menos de 30 minutos de inspeção, eles flagraram duas empresas cometendo o crime de furto de energia. No primeiro caso, os fiscais constataram que a instalação elétrica de um restaurante localizado na Avenida Duque de Caxias com Terreiro Aranha, estava ligada direto ao poste de energia sem passar pelo medidor.

Em outra inspeção, os fiscais encontraram uma irregularidade sendo cometida em uma gráfica, localizada na Avenida Terreiro Aranha. A empresa também estava sendo abastecida com a energia elétrica sem a fiação passar pelo relógio medidor.

O gerente do departamento de combate a perdas, Willian Barroso, explica que a fiscalização inicia no relógio onde é verificado o ramal que vai até o padrão para saber se está havendo o desvio de energia. “No medidor, o eletricista coloca um aparelho e consegue saber se o equipamento foi danificado ou não. A partir dai a gente faz os procedimentos de regularização e registro da ocorrência”, explicou o gerente.

O cliente regular acaba pagando a conta resultante da prática de furto, já que parte do valor desviado é acrescida ao valor da tarifa, além de impactar a qualidade do fornecimento de energia em sua residência e de trazer riscos à sua segurança, segundo Willian Barraoso. “O cliente pode e deve denunciar pelos nossos canais de atendimento”, diz.

De acordo com Willian Barroso, existem duas vertentes para punir quem é flagrado cometendo o crime de furto de energia. “A primeira é a comercial, onde é feito a cobrança da energia que ele utilizou e não foi faturado, no talão de energia. O outro procedimento é o criminal por parte da Polícia Civil que o proprietário do local vai responder”, disse.

Ainda de acordo com Willian Barroso, somente os eletricistas da Energisa são autorizados a manipular os padrões de energia. “São pessoas treinadas para fazer esse procedimento porque existem riscos de choques elétricos. Nossos profissionais estão identificados, treinados e preparados para mexer nos padrões. Nenhum morador pode mexer porque todas as caixas são lacradas e esse lacre não pode ser rompido”, finalizou o gerente.



Fonte RONDONIAGORA


Outros Destaques
-->

-->
Mais Notícias
-->


-->