-->




-->



-->
Identidade do prefeito rondoniense ''peladão'' ainda é desconhecida


Após a repercussão nacional de uma reportagem que apontou o prefeito de um município rondoniense andando pelado pelos corredores de um hotel de alto padrão localizado na Asa Sul de Brasília (DF), permanece o mistério sobre qual dos 52 prefeitos do Estado teriam protagonizado a vexatória cena.

O fato aconteceu entre os dias 01 e 02 de abril desse ano e a reportagem denunciando o “papelão”, foi divulgada no último dia 30 de abril pelo jornal brasiliense Metrópoles na época.

 

Ao jornalista de Brasília, o prefeito “peladão” exigiu sigilo e alegou que o problema apenas ocorreu porque ele havia misturado álcool e remédios controlados. Na mesma reportagem em que essa informação foi divulgada, outro prefeito de uma cidade paranaense foi denunciado por ter sido registrado por câmeras do mesmo hotel praticando ato sexual com uma possível garota de programa dentro de um elevador.

 

Essa situação envolvendo o prefeito rondoniense ocorreu uma semana antes da Marcha dos Prefeitos 2019, que reuniu centenas de prefeitos de todos os estados brasileiros na capital federal.

 

O caso 

 

Uma matéria divulgada nesta terça-feira (30) pelo jornal Metrópoles, do Distrito Federal, revelou casos de sexo com prostitutas promovido por autoridades públicas nos hotéis da Asa Sul de Brasília, antes e durante a marcha dos prefeitos no mês de abril de 2019.


Segundo a reportagem, um prefeito de um município de Rondônia foi flagrado andando pelado pelos corredores do hotel. O fato aconteceu durante a madrugada do último dia 02 de abril, exatamente seis dias antes do início da Marcha dos Prefeitos, ocorrida entre os dias 08 e 11 do mesmo mês.


O prefeito que aparentava estar fora do seu normal, precisou ser contido pelos seguranças e encaminhado para seu quarto, no dia seguinte foi convidado a se retirar do hotel pela confusão causada, porém ele alegou que o fato ocorreu por ter misturado bebida alcoólica com medicação para dormir, por isso foi “perdoado”  ficou por mais duas noites.

 

Pelo caso envolver suposto uso de remédio, o nome do político foi resguardado.

 

 

 



Fonte rondoniaovivo.com


Outros Destaques
-->

-->
Mais Notícias
-->


-->